APAC Masculina de Divinópolis/MG

16/02/2023

Fachada do CRS de Divinópolis/MG

A história da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC) de Divinópolis é um testemunho notável de determinação e dedicação à reabilitação e à transformação de vidas. Tudo começou com o incansável Padre Antônio Pedrosa, que liderava a Pastoral Carcerária da Diocese. Embora não se tenha conhecimento de como ele teve contato inicial com a metodologia da APAC, seu desejo de implementar o Método na comarca foi o primeiro passo importante.

A fundação da APAC aconteceu após a elaboração e aprovação do estatuto durante uma assembleia de fundadores. Nessa ocasião, Padre Pedrosa sugeriu que a Drª Vânia, Defensora Pública com vasta experiência na área criminal, se tornasse a primeira presidente da APAC, uma decisão aclamada pela comunidade e que ela aceitou com humildade e coragem.

Os primeiros esforços da APAC foram concentrados no cadeião do Afonso Pena, onde a Polícia Militar era responsável pela segurança. Os membros do que viria a se tornar a APAC Divinópolis começaram a visitar o local aos domingos, realizando atividades voluntárias com os detentos, desde palestras até celebrações religiosas. Em ocasiões especiais, alguns detentos tinham permissão para passar o dia fora da prisão, graças ao apoio do Juiz Criminal Dr. José Rômulo de Faria.

A fundação jurídica da APAC ocorreu em 14 de junho de 1988, durante uma assembleia geral que contou com a presença dos já mencionados Padre Pedrosa e Drª. Vânia, além do Dr. Wellington Antônio Ferreira, Juiz da 2ª Vara Civil da comarca, Dr. José Rômulo de Faria Juiz da Vara de Execução Penal e Nilza Pulgas da Silva, voluntária, entre outros.

Em 16 de fevereiro de 2023, o Centro de Reintegração Social (CRS) da APAC foi oficialmente inaugurado, um marco que contou com a presença de diversas autoridades, incluindo o presidente do TJMG, desembargador José Arthur de Carvalho Pereira Filho.

 Valdeci Ferreira em frente ao CRS – Divinópolis

A construção do CRS foi viabilizada graças a um terreno doado pela prefeitura e verba pecuniária proveniente da Vara de Execuções Penais de Divinópolis, sob a liderança do Juiz Dr. Francisco de Assis Correa.

A administração do CRS teve início em 14 de abril de 2023, sob a liderança do atual presidente, José Francisco Martins, e com a contratação dos primeiros funcionários.

A APAC também contou com importantes contribuições dos voluntários Angela Maria Lopes Campos e seu falecido marido, Milton Antunes Campos, que serviu como presidente da APAC por quase duas décadas.

A história da APAC não estaria completa sem a trajetória inspiradora de pessoas como Nilza Pulgas da Silva e Ângela Maria Lopes Campos, cuja dedicação e compromisso com a causa são verdadeiramente notáveis.

Ao longo de sua trajetória, a APAC enfrentou diversas dificuldades, incluindo o preconceito da sociedade, a resistência das forças policiais e o desafio de encontrar empregos para os ex-recuperandos. No entanto, essas dificuldades só fortaleceram a determinação da APAC em continuar sua missão de reabilitação e transformação.

A organização também promoveu eventos importantes, como cursos de voluntários e uma audiência pública, que contribuíram para seu crescimento e reconhecimento.

Juízes, promotores, prefeitos e outras autoridades desempenharam um papel crucial na jornada da APAC, como evidenciado no depoimento do Juiz Dr. Francisco de Assis Correa, que descreve sua contribuição desde 2009 até os dias atuais.

“A atuação do Magistrado, Francisco de Assis Correa, na APAC data de sua vinda para a comarca de Divinópolis, como titular da VEP/VIJ, ainda em 03/09/2009.
A partir de então, verificada a necessidade de implantação da metodologia APAC na comarca de Divinópolis/MG, constatada uma defasagem de mais de 25 anos em relação a Itaúna, houve intensa movimentação da sociedade local, com intuito de aprovação da ideia, na medida em que tentativas em épocas anteriores restaram frustradas justamente pelo equivocado conhecimento da população sobre o tema.
Como consequência, houve a sensibilização do Poder Público (Executivo local), resultando na desapropriação e consequente doação do terreno para construção da APAC, local onde funciona atualmente.
A partir de 2015 houve reiterada destinação de verbas decorrentes de prestações pecuniárias, com intuito de construção das instalações físicas da APAC, resultando na conclusão da obra tal qual atualmente em funcionamento, com recursos destinatária das penas pecuniárias, permanecendo o referido Magistrado como titular da VEP até os dias atuais.”

A APAC de Divinópolis é um exemplo notável de como a determinação e o compromisso podem superar desafios e transformar vidas, oferecendo uma segunda chance a indivíduos que buscam reintegração na sociedade. Seu legado é uma inspiração para todos que acreditam na reabilitação e na humanização do sistema prisional.

Atualmente a APAC Divinópolis atende 84 recuperandos e conta com 4 (quatro) oficinas produtivas: corte e costura, madeira, pintura e tapetes de retalhos, além de uma padaria que iniciou recentemente suas atividades.

Notícias Relacionadas

Vídeos Relacionados